terça-feira, 25 de julho de 2017

Cascata da Cabreia

Cascata da Cabreia

Escondida num vale verdejante, a Cascata da Cabreia é uma das mais belas de Portugal.
Do alto de vinte  e cinco metros,  as águas transparentes e geladas do rio Mau caiem numa "taça" que convida a um banho vigorante! 
O parque envolvente tem estruturas de apoio, nomeadamente um parque de merendas.
Não faziam falta os grelhadores, onde os visitantes teimam em fazer lume e com os grelhados enchem o local de fumo, sem contar com o perigo de incêndio! 
Já lá não vamos há 4 anos mas é um local maravilhoso, a evitar em Julho e Agosto... Nestes dois meses está muito cheio de visitantes e o cheiro a grelhados e o fumo tiram grande parte da beleza do local!
O acesso até à cascata tem alguma dificuldade para maiores de sessenta! 
Mas o passeio vale bem  a pena!  É só levar calçado adequado e, já agora, o lanche cozinhado de casa!






O rio serpenteia ao longo do vale, ladeado por uma vegetação luxuriante onde pousam libelinhas de várias cores, abelhas... 
O cantar das aves e da água nas pedras, tornam este local único e muito aprazível.
A desfrutar com tempo e sem grelhados no local!






sexta-feira, 14 de julho de 2017

Serpa - cidade branca

Serpa


Serpa, cidade branca, tem um valioso património natural, cultural e arquitectónico  que merece, pelo menos, uma visita anual. 




   No início da Primavera, as ruas da cidade encheram-se com a presença de dezenas de "jovens" das academias seniores que tiveram oportunidade de fazerem um roteiro turístico pela cidade, antes do encontro das tunas seniores que ali aconteceu.

O castelo



No interior do castelo está situado o Museu de Arqueologia que mereceu uma visita atenta...


Do alto das muralhas do castelo avista-se grande parte da cidade e os campos da planície alentejana coloridos de vários tons de castanho, verde e amarelo.






Muito fica ainda por mostrar do património de Serpa ...


domingo, 2 de julho de 2017

Serpa

Serpa 

Campos de colza

 Numa visita a Serpa, nesta Primavera  de 2017, ficámos surpreendidos com a imensidão dos campos coloridos de amarelo. Aproximando-nos das plantas em flor identificámo-las como colza, o que viemos depois a confirmar junto de alguns habitantes desta simpática cidade alentejana.
  Estas plantações de colza (que alguns referiram ser transgénica) já duram há alguns anos e ocupam dezenas e dezenas de hectares não só em Serpa mas também noutros campos do Alentejo.
Trata-se de uma planta utilizada na rotação das culturas e que tem baixo custo de produção e boa produtividade.






  A partir das sementes desta planta extrai-se um óleo utilizado  na produção de biodiesel. Sobre a utilização do óleo de colza na alimentação, há muitas dúvidas já que o mesmo, em doses elevadas, é tóxico para os humanos. As folhas da planta servem de forragem para o gado.