segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Outono


OUTONO




Se deste outono uma folha, 
apenas uma, se desprendesse

da sua cabeleira ruiva,

sonolenta,




e sobre ela a mão
com o azul do ar escrevesse
um nome, somente um nome,

seria o mais aéreo
de quantos tem a terra,



a terra quente e tão avara
de alegria.

Eugénio de Andrade

quinta-feira, 4 de outubro de 2018


VOZES DO MAR




Quando o sol vai caindo sobre as águas
Num nervoso delíquio d’oiro intenso,
Donde vem essa voz cheia de mágoas
Com que falas à terra, ó mar imenso?







Tu falas de festins, e cavalgadas
De cavaleiros errantes ao luar?
Falas de caravelas encantadas
Que dormem em teu seio a soluçar?

Tens cantos d'epopeias? Tens anseios
D'amarguras? Tu tens também receios,
Ó mar cheio de esperança e majestade?!

Donde vem essa voz, ó mar amigo?
... Talvez a voz do Portugal antigo,
Chamando por Camões numa saudade!
Florbela Espanca







terça-feira, 11 de setembro de 2018

Tempo

"O único tempo que podemos viver em pleno é o dia de hoje!

O passado já aconteceu!

Não vale a pena estar sempre a olhar para trás ...

Mas às vezes foi tão bom que dá saudades!"












quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Arraiolos

Centro Interpretativo do Tapete

Arraiolos

A história dos Tapetes de Arraiolos perde-se nos séculos e escreve-se com milhares de pontos com que pacientemente eram e ainda são, bordadas as verdadeiras obras de arte que são os Tapetes de Arraiolos! 






O tipo de pontos, de linhas ou lãs, os desenhos e os materiais utilizados na confecção do tapete têm tido alterações aos longo de séculos...



Para saber mais sobre este tema tão interessante, nada melhor que visitar o Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos que se localiza na Praça do Município, no antigo (agora recuperado e remodelado) edifício do Hospital do Espírito Santo!





 O Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos (CITA) foi inaugurado a 29 de Agosto de 2013 e " é um espaço museológico permanente que tem como objectivos promover o estudo e a divulgação do Tapete de Arraiolos, assim como a sua conservação, protecção e valorização..."


A visita inicia-se, no rés-do-chão,  pela capela do antigo hospital e aí podemos observar uma valiosa colecção de arte sacra.




 No chão da capela estão visíveis as fossas de uma enorme tinturaria que, durante os séculos XIII a XV,  funcionava no espaço  ocupado pelo edifício do centro interpretativo e outros edifícios próximos e pela actual praça do Município. 



Ainda nas salas do rés-do-chão têm-se realizado várias  exposições temporárias.





 









Desde  a sua abertura, em 29 de Agosto de 2013, realizaram-se no CITA dezoito exposições temporárias.





 Nas várias salas do primeiro andar há painéis informativos, fotografias, além de variados materiais, utensílios e equipamentos  que  elucidam o visitante e lhe permitem  acompanhar a história, técnicas e materiais utilizados na  produção artesanal dos Tapetes de Arraiolos.


















Mas há muito mais para descobrir no CITA!




O Centro Interpretativo do Tapete  de Arraiolos está a comemorar, durante o mês de Agosto, o seu 5º aniversário.

No dia 29 de Agosto estão previstas visitas guiadas entre as 10 e as 17 horas.


(algumas informações foram recolhidas e/ou adaptadas dos folhetos editados pela CMA)




(as bonecas Joaquina e Joana Tapeteira são criações do "Atelier da Jóia")