quinta-feira, 16 de dezembro de 2021

Redondo

 

Ruas Floridas 

Agora  que as Festas do Povo de Campo Maior foram distinguidas, pela Unesco, como Património Cultural Imaterial da Humanidade  tenho que dizer que conheço mal este evento mas que fica para uma nova oportunidade. assim que seja possível e o povo queira!

Há mais de vinte anos lembro-me que em Cuba, no Alentejo, houve umas festas que também tinham como destaque as ruas enfeitadas com flores de papel...

Vou aqui referir as ruas em flor de Redondo, evento que conhecemos melhor e de que temos uma reprospectiva de vários anos.

Realizam-se de dois em em dois anos mas creio que em 2021 foram canceladas.

As fotografias aqui apresentadas são de 2019 e não foi o ano em que achei as ruas mais bonitas...












Redondo 2019 

O mais perto que estive de ser um Anjo, com asas emprestadas!

Uns meses depois surgiu um vírus que nos "cortou as asas" e virou  a nossa vida do avesso.

Mena






sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Vidigueira

Museu Municipal

Num destes sábados de Outono  com o sol  a brilhar num céu azul,  juntou-se um grupo de amigos e fomos  visitar o Museu Municipal de Vidigueira.


"O Museu, inaugurado em 2004, encontra-se instalado no espaço da antiga escola primária Vasco da Gama, recuperado e adptado a espaço museológico.
O espaço expositivo do Museu Municipal de Vidigueira organiza-se em dois núcleos de leitura independente, em que o primeiro retrata a história do ensino primário no concelho desde 1883 a 1991 e o segundo oferece uma visão do quadro económico, social e cultural vidigueirenses da primeira metade do séc. XX, através dos ofícios, comércio, agricultura e pequena indústria, representados em ambientes temáticos." 

Fomos muito bem recebidos e foi feita uma  explicação detalhada sobre o edifício e o museu.
Ficámos  a saber a origem da construção do edificio, as suas várias funcionalidades ao longo do tempo, até chegarmos ao presente...
Depois fizemos uma visita livre aos vários núcleos do museu.

"... o primeiro núcleo relata  a história do ensino primário no concelho de Vidigueira, centrado numa sala de aula e no seu espólio material e documental."
Para dizer a verdade, senti-me fazendo parte do Museu, já que a minha sala de aula foi quase igual! Lá estavam a ardósia, o lápís de pedra, a caneta de aparo, o tinteiro, as carteiras iguais àquela onde me sentei durante quatro anos...


"Entre os dois núcleos principais existe uma sala intermédia que simboliza a divisão dos mundos masculino e feminino, iniciada nos bancos da escola que um muro dividia cerrando horizontes, num contexto social em que “a casa era para as mulheres” e o universo masculino desconhecia fronteiras.
Do mundo e do saber masculinos falam os núcleos profissionais que representam, em objectos , uma sociedade rural ensaiando os primeiros passos de industrialização.
A agricultura, o comércio local, ofícios e a pequena indústria reconstituem, em pequenos núcleos, a sociedade videigueirense  da primeira metade do século XX."




O espólio do museu é bastante variado e foi, na sua maioria, oferecido.
Aqui podemos obervar objectos e utensílios que fizeram parte do quotidiano até  aos meados do século XX e  mesmo  até mais tarde!


O núcleo representativo das antigas actividades económicas do concelho é bastante rico e pormenorizado.
Nele podemos observar a reconstituição de uma barbearia, uma mercearia, o alfaiate,   o  sapateiro, transportes como o chorrião, alfaias agrícolas, trajes, representações de momentos da vida dos trabalhadores agrícolas e muitas outras recriações que merecem uma visita atenta e pormenorizada.
Cada um de nós fez a sua viagem ao passado, à sua infância e adolescência, à casa dos pais ou avós, pois nada daquilo nos era totalmente desconhecido mas já desaparecera da nossa terra há anos (não muitos), sem que ficassem vestígios ... 
Foi grande a grande partilha de vivências que esta visita nos proporcionou!

 barbearia

merceria
Lembro-me perfeitamente destas  mercearias!
Vendiam desde azeite, massa, arroz , feijão, tecidos, loiças e até as cobiçadas canetas de tinta permanente que tive na quarta classe! E rebuçados de meio tostão que comprava uma vez por semana com a semanada que o meu avô paterno me dava ! Era um cartucho cheio para repartir com as minhas irmãs que compravam chocolates ou castanhas piladas e íamos para  a troca! Dez tostões davam para comprar muita guloseima e ainda fazíamos um mealheiro para comprar  livros (a semanada era de  dois escudos e cinquenta centavos para cada uma das cinco netas)! Para nós, era  uma pequena fortuna!
 em adulta, ainda fiz compras em mercearias semelhantes, em algumas das localidades onde vivi!

sapateiro

fabrico de azulejos

alfaiate

O azeite e o vinho estão, desde sempre, ligados ao património e economia de Vidigueira 

Muito há para descobrir e apreciar na visita ao Museu Municipal de Vidigueira e o melhor é mesmo ir até lá!
Mena

                                       
Além das exposições permanentes há exposições temporárias como a que pudemos apreciar (autora Bela Filipe).





Nota : as informações em itálico foram recolhidas do folheto disponibilizado pelo museu e 
em  http://www.patrimoniocultural.gov.pt/museu-municipal-de-vidigueira

As fotografias são de nossa autoria R&M